quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Candidatura espontânea


Ai o que eu me controlei para não me desmanchar a rir logo ali!
Fui ter com uma amiga à Universidade onde fiz o meu curso (ela trabalha lá) e como nos bons velhos tempos, lá andei às voltas para estacionar.
Voltas e voltas e mais voltas, acabei no sitio do costume; numa zona de estacionamento mais ou menos selvagem, atrás do Campus.
Surpresa das surpresas o arrumador que na altura (toxicodependente com quem eu tinha grandes conversas mais ou menos moralistas) lá estava, ainda ali se mantinha.
Inacreditavelmente reconheceu-me dizendo "há uns anos que já não a via por aqui".
Cumprimentámo-nos e de imediato me contou que continuava na metadona e em casa da mãe (recorrentes pedidos meus a que ele tinha acedido no meu último ano de curso).
E depois largou a bomba.
Arrumador, toxicodependente em recuperação - Ando para aqui ralado; a Emel está a arranjar o parque e até já cá pôs as máquinas.
Quando as puserem a funcionar fico sem trabalho.
Eu, ex-aluna e moralista- Tens de procurar alguma coisa.
Arrumador, toxicodependente em recuperação - Pois, mas vai ser difícil continuar na metadona assim. Como é que eu tenho horários?.
Pois...e ele prossegue:
Arrumador, toxicodependente em recuperação Até já fui à Emel inscrever-me. Agora é ver se eles me chamam".
Despedimo-nos e tal, e eu consegui aguentar o riso até ao virar da esquina. 
Espero que seja aceite e que tenha muito sucesso!
A serio!
Não consigo lembrar-me de ninguém mais qualificado para o lugar; o homem tem anos de prática.
E ao lado da Universidade.
Até já devia ter direito a licenciatura!

22 comentários:

  1. Ainda lá está?? OMG há coisas que não mudam...

    ResponderEliminar
  2. Muito bom :)
    Provavelmente já tem equivalência ;)

    ResponderEliminar
  3. querida, como nao podia deixar de ser ja me ri às gargalhadas! sabes o que sugiro? junte-mo-nos todos e façamos uma carta de recomendaçao para a EMEL para admitirem o jovem, pedindo que tenham em consideraçao o tempinho que ele vai precisar para a sua metadona! Tu nao existes.

PS - falta aqui alguma pontuaçao e acentuaçao - perdoem-me - o teclado é ITALIANO

    ResponderEliminar
  4. Ahahahahahahaah...eu acho que ela já é Doutor por extenso e tudo......

    ResponderEliminar
  5. Ahahaha, merecia ser logo aceite!
    :-))

    ResponderEliminar
  6. ahahaha pode ser que fique por lá! x)

    ResponderEliminar
  7. Se outros têm por menos, porqueé que ele não há-de ter?

    ResponderEliminar
  8. ahahah Funcionário exemplar.

    ResponderEliminar
  9. Se calhar safava-se :))
    Bj S

    ResponderEliminar
  10. Assim sim! Fossem todos assim, dedicados ao seu posto de trabalho, e o país ia para a frente! :D

    ResponderEliminar
  11. Curioso ele se referir a arrumar carros como o seu trabalho!

    ResponderEliminar
  12. Oh, coitado... até fiquei com pena dele.
    Confesso que tenho um profundo desagrado com os arrumadores e que raramente lhes dou as minhas preciosas moedas, mas confesso que até simpatizei com o "teu" eheheh

    ResponderEliminar
  13. E olha que esses são bons a ir atrás das pessoas. Ahahahah... Ironia do destino.

    ResponderEliminar
  14. Ahahahahhahahahahha seguramente! Fez o doutoramento por osmose! :DDDDD

    ResponderEliminar
  15. eheheheh...espero que o CV seja devidamente analisado e comprovado pelos ex-alunos da Universidade eheheheh

    ResponderEliminar
  16. ahahahah realmente nem sei como não te desmanchaste!!
    Mas olha que è engraçado que quando andei no 10°ano lembro-me que havia um arrumador com quem passava tempos a falar e a "dar lições de moral" :)
    Soube hà pouco que tinha falecido e senti-me assim esquisita..sei là!

    ResponderEliminar
  17. Desculpa??? Já devia ter o doutoramento!!!

    ResponderEliminar
  18. Não percebo porque é que nunca lhe deram equivalências, por menos já ouve neste país quem as tivesse!

    ResponderEliminar
  19. A avaliar pelo relvas...com a experiência que tem ainda o enchem de créditos

    ResponderEliminar