domingo, 6 de janeiro de 2019

Entra ano, sai ano...

E eu não me habituo.
No dia em que ele vai, instala-se-me um nevoeiro no peito, uma névoa nos olhos e o mundo perde a cor.
Fico a preto e branco...
Depois, é preciso fazer das tripas coração, ir buscar ao fundo da alma as forças necessárias para retomar a rotina de estar sozinha e não estar só.
Ele lá, eu cá.
Sempre soubemos que seria assim mas saber, não o torna mais fácil.
Até já meu amor. 

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

Ela voltou! Ela voltou!

Dona Zuca foi passar o rebelhão a Paris. 
Chegou ontem tarde da noite (já era madrugada) e enviou-me mensagem dizendo que chegou bem. 
Porque era já muito tarde e a imaginei cansada perguntei se trabalharia hoje.
A resposta veio célere e curta: 

-Sim, nasci linda e pobre! 

segunda-feira, 31 de dezembro de 2018

A voltar a mim

Ainda não foi em 2018 que retomei o meu tão amado blog.
E nada promete que seja em 2019 que o faça...

Continuo sem perceber se à semelhança da cottage que para ali está sem que haja tempo e vontade para lá ir, precisa apenas que se lhe volte a abrir as janelas e limpe a poeira, ou se terá mesmo morrido e eu insisto em aqui voltar e dar-lhe de vez em quando um balão de oxigénio.

Há quatro anos atrás, como tornei público na altura, abracei um novo projecto e como em tudo o que faço, fui de alma e coração.
E tanto ali apliquei alma e coração que pouco mais sobrou de mim...

Nada arrependida, apenas... talvez tivesse sido possível fazer tudo de forma algo diferente.
De forma a não ter esgotado muito da minha essência nesse projecto.

Este ano fui acordando, aos poucos, poucochinhos, um pedacinho de cada vez...
E descobri-me diferente.

Abafada e apertada dentro de uma cinta espartilhada que não me dava espaço nem margem para levantar os olhos de um telemóvel ou de um PC, para rir, para dizer/fazer piadas, para me deixar encantar como sempre tinha sido com as pequenas coisas da vida e do mundo, para escrever, para inventar...

Uma cinta espartilhada que me apertava e me apartava do mundo lá fora; sim, continuava a viajar mas a atenção estava retida e não me deixava desfrutar como sempre tinha feito.

Livre no mundo sem horários ou restrições que me obrigassem a marcar presença física num local mas PRESA, presa... dentro de um telemovel, nas redes sociais deste projecto...

... que me sugava tudo e exigia ainda mais.
24hx7, dia após dia, dia após dia, dia após dia...
... completamente enredada...

Foi-se o humor, foi-se a magia e a graça, a leveza... e descobri-me quase vazia, com um buraco no peito e a cabeça em água.

"BASTA!", tive que dizer um dia depois de muito adiar.

Quero-me de volta.
Quero rir!
Quero escrever, quero pintar, quero ler e aprender.
Quero passear de cabeça levantada e olhos no horizonte, longe de um écran de telemovel.

Saí ainda há pouco de "dentro da cinta", e não é fácil resgatar-me de volta mas aos poucos quero crer que a coisa vai.

Recuperar o meu próprio ritmo, ficar online só mesmo quando eu quiser, dizer aos dedos que já podem voltar a escrever só o que quiserem, dar-me permissão para ter o prazer de não fazer nada; ser, estar, apenas.

Há projectos novos a dançar na minha cabeça e alguns já tomam forma na secretária mas cada um deles terá o seu tempo de acontecer.

E eu, se Deus e as musas quiserem passarei também a ter tempo e vontade de vos vir aqui escrever (posts com bastante mais piada do que este espero eu mas devia-vos esta explicação).

Por isso, até já!








segunda-feira, 5 de novembro de 2018

Novidades da Zuca

Não a vi durante o fim‑de‑semana e hoje quando chegou cumprimentei-a e perguntei-lhe se estava tudo bem; a resposta veio pronta de seguida:

- Como não? 
Estou toda em cima
Mamas em cima da barriga, barriga em cima da “pérséguida”, “pérseguida” em cima dos joelhos...



sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Algum dia tinha que ser...

Muito mais por uma questão de personalidade do que necessidade tenho a mania que sei fazer tudo e antes de pedir ajuda, coisa que muito raramente peço, atiro-me de cabeça ao que houver para fazer.

Desta vez correu-me mal a “brincadeira”...
Quem por aqui anda há algum tempo já “assistiu” às minhas investidas como canalizadora, pintora, assentadora de papel de parede (é assim que se chama, ou será coladora?), mecânica, trocadora de pneus, enfermeira, detective CSI, e eu sei lá o que mais!
Pois foi fazendo uma coisa bem simples que isto correu pior...

Acabo de levar com um candeeiro de tecto no toutiço enquanto mudava uma lâmpada.!
Resumo dos estragos:
Um galo na testa, uns arranhões nas bochechas e um golpe fundo no nariz que precisou de ser assistido no posto médico depois do abajur (abat-jour) se me ter partido na cara.

Acho que nos próximos tempos fica assim resolvida a questão das selfis (hes).



sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Apelo à população!

Não sei o que fazer...

Eu explico; a pessoa (eu) tem uma conta de instacoiso já vai para uns anitos que criou com muito amor e carinho e onde deposita com regularidade imagens que achou bonitas, sitios por onde passou, quotes (tanto as que a inspiraram como as que a levaram às lágrimas de tanto rir) e vá, também algumas (muitas) selfies (hes) para massajar o próprio ego e porque achou que até nem ficou muito mal na coisa.

Ao longo destes anos a coisa por ali foi andando, com likes d´amigos, e eu a laikar amigos também mas... de há uns tempos a esta parte foi-se-me chegando gente nova, cada vez mais gente e eu pus-me a ver as páginas deles também; e outras!
E confesso que fiquei com vergonha de ter a página tão desarrumada.

Agora vejo-me num imbróglio!
E é por isso que apelo a vós gentes do bem.

Sinto-me na obrigação necessidade de receber bem esta gente, porque afinal de contas aquilo é também a minha casa, verdade?
E para o fazer acho que lhes devo oferecer mais; e melhor...
Mas o que lá está sou eu...

E eu ando sempre sem maquilhagem... e sem grande arranjo... e a maior parte das vezes as selfies (hes) não me saem bem... tenho o braço curto acho eu e fico com cara de bolacha e olhos vesgos...
Já comprei um selfie(sh) stick mas para além de ter vergonha de usar aquilo na rua tenho também algumas dificuldades técnicas... a saber:

- Como não vou para nova preciso dos óculos para ver o que estou a fazer e assim que os tiro (para ficar bem na imagem) fico cega que nem uma toupeira e não sei se estou a fazer boa cara ou não; chego mesmo a tirar fotos só aos senhores que vêm atrás de mim... mas não a mim... corto a minha própria cabeça... desfoco porque me treme o bracinho e estou sempre a ver se vem alguém (morro de vergonha)

- Tenho um problema de coordenação entre o gatilho da coisa e os meus olhos; devo ser a única pessoa que tira fotos a si mesma e consegue ficar de olhos fechados...

- Escolho o filtro no snapchat (diz que alguns filtros fazem ali uma coisa que alisa a pele e fica a pessoa tipo rabinho de bebé) mas nunca acerto com o que quero e acabo com uma argola no nariz ou com uma corôa de flores no cabelo (quando não acontece pior e fico com orelhas de qualquer coisa); afinal qual é o filtro certo para aquilo?!

Para além das dificuldades técnicas temos as outras comportamentais; para além da já referida ausência de maquilhagem (eu sei que há filtros que maquilham também mas só encontro uns que me põem sardas e os olhos verdes...) temos os problema dos autefites ...

Todos os que por aqui andam há muito estão fartos de saber que eu me visto com a primeira roupa que me ataca de manhã quando abro o roupeiro e isto não dá para se ficar assim em bom.
Não tem nada que saber; no Verão túnicas, calções e xanatas e no Inverno jeans, botas e blusões.

Ora assim não chego lá!
Vai que já tentei umas quantas vezes copiar as influencers e vai de me maquilhar, calço o belo do sapatólio, faço assim uns conjuntos (agora parece que se diz "combinados") ponho uns colares e uns chapéus e lá vou eu pespegatar-me na primeira parede em ruínas ou grafitada com ar delambido ou se tiver tempo numa esplanada toda hipster e tal... mas carai!
Sinto-me mascarada!
Isto não me sai natural!

E agora?!
Quem me ajuda?
O que faço?
Já vos aconteceu (as influencers perguntam muito isto)?

RESPONDAAAAAM!
Há toda uma vida no instagrã que espera por mim!




segunda-feira, 22 de outubro de 2018

Ahahahahahah morri!


Querida Mãezinha frequenta agora um Centro de Dia, onde para além de companhia entre os seus pares tem também muitas actividades; lavores, ginástica (algumas fazem batota e só levantam a bengala, diz ela), vão ao teatro, fazem festas e assistem a sessões de esclarecimento (nada de política). 
A de hoje, acabou ela de me contar, foi mesmo muito interessante.
Então e qual era o tema? Perguntei. 
Sexo! 
Como evitar doenças sexualmente transmissíveis, métodos de contracepção e isso! 

Ainda não consegui parar de rir com o sentido de oportunidade e timming de quem engendrou a palestra! 
A assistência tinha entre 82 e 93 anos! 
Ahahahahahahahahahahahahahah

Não aguento! 
Ela dá cabo de mim!