domingo, 18 de novembro de 2012

O amor em tempos de cólera


Comprei hoje a edição árabe (uma das) do livro de Gabriel Garcia Marquez " O amor em tempos de cólera".
Faz já muitos anos que li este livro (não havia cá filmes) e que ele me entrou no sangue; durante muitos anos foi o meu livro de cabeceira e o meu capital de esperança e ternura.
Muitas vezes volto a ele e adoro relê-lo.
Não sou dada ao colecionismo mas habituei-me a trazer de cada país visitado, uma edição deste livro; faltava-me esta!
P.S. - Há anos atrás comprei dois em NYC; um trouxe-o comigo, o outro deixei-o num táxi, com o meu nome escrito e o meu numero de telefone :))

22 comentários:

  1. a sério? essa ideia é tão gira! este também é dos meus livros favoritos de sempre (na minha opinião superior aos 100 anos de solidão) e li-o há tantos anos de uma assentada que se calhar é altura de o reler. obrigada pela lembrança!

    ResponderEliminar
  2. e ninguém te contactou? :P

    ResponderEliminar
  3. Acho o máximo isso de trazer o livro de cada país visitado! :D

    ResponderEliminar
  4. Achei a ideia super gira e original :) Beijinhos*

    ResponderEliminar
  5. Sui generis e encantador, como tu, linda :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Maria...c´até fiquei assim a modos que ruborizada...
      =))

      Eliminar
  6. que ideia maravilhosa! e o livro deixado num táxi em NY dava um belo guião!

    ResponderEliminar
  7. Adorei esse livro e acho que o li ainda adolescente!
    Depois desse fiquei viciada no senhor e já ti tudo o que escreveu!
    vidademulheraos40.blogspot.com

    ResponderEliminar
  8. Que ideia gira!
    Eu nunca li, mas tenho de admitir que fiquei tentada!
    :-))

    ResponderEliminar
  9. Nunca li,mas jà ando para o ler hà imenso tempo!
    a tua ideia do tàxi foi o màximo:)

    ResponderEliminar
  10. Oh, o Florentino Ariza e a Firmina Daza!... Que flechazo! Quem não os recorda?
    Mas olha que tu, Sexinha, aí por terras quentes e islâmicas, devias ler também era "A paixão turca", do António Gala :)
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  11. Por cá é o Cem Anos de Solidão, tem a humanidade toda dentro dele! Que escritor.

    ResponderEliminar