terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A defesa da fantástica tese!

E foi bonito sim senhora!
A miúda chegou com os seus belíssimos olhos verdes, um sorriso do tamanho do mundo e botou faladura!
Falou como só falam as pessoas que têm paixão por aquilo que estudam e por aquilo que fazem; foi  hora e meia a falar de lulas e de polvos e eu fiquei rendida!
Confesso e admito que todo o meu contacto com estes cefalópedes se fez sempre no prato (à excepção de um que me veio agarrado à ponta do anzol e me fez largar a cana e saltar para o extremo oposto do barco onde me encontrava a pescar), e talvez por isso eu soubesse tão pouco acerca deles.
Tudo o que me importava era saber que sim senhora o bicho ou era tenro e fresco, ou não.
Agora tudo mudou; nunca mais eu olharei para um polvo da mesma maneira.
O bicho é inteligentíssimo (diz que são os invertebrados mais avançados do mundo; basta ver que a sua alimentação se faz à base de mariscos, não há cá saladinhas e mais não sei o quê)!
As mamãs polvas então, são super mamãs!
Em regra cada uma tem, uma média de 400.000 filhos (sem epidural e sem babás para ajudar a tomar conta)!
Claro que nem todos sobrevivem (mesmo com oito braços não é facil tomar conta de toda esta prole - ai, que vou só ali à alga do meu amigo; e eu vou andar de bicicleta; ó mãe, porque é que não posso trazer os meus amigos cá à alga (casa), ó mãe segura-me aí nos livros); calculo até que deva haver mães que se atiram ao primeiro anzol que lhes passe à frente na ansia de descansar um cadito (e assim acabam na panela a cozer com uma cebola).
A boa noticia é que os pirralhos crescem depressa, e espertos que nem um alho, aprendem a defender-se muito bem rapidamente; o polvo vem logo equipado à nascença com um bico e uma bolsa de tinta permanente (o que pode parecer estúpido porque o polvo não sabe escrever mas dá-lhe jeito para lançar a confusão); o polvo é um animal brincalhão por natureza e gosta de brincar às escondidas; podemos mesmo assistir muitas vezes ao seguinte diálogo entre um polvo e sua mãe:
- Polvo Manuel, onde é que tu estás? Olha que me estás a pôr a cabeça em água!
- Estou aqui mamã, atrás desta nuvem de tinta.
- Polvo Manuel tu sai já daí detrás que eu não te vejo e olha que eu não estou para brincas!
Pumbas! Bolsa de tinta confiscada que é para não atentares a cabeça à mãe que tem mais 399.999 irmãos para tomar conta (isto diz a mãe já cheinha de nervos; o polvo têm um sistema nervoso completissimo mas parece que não têm ABS)!
E ela falou, falou, falou e eu aprendi muito (acho eu).
Parabéns Kukinha!
P.S.- o arguente já me estava a enervar; parecia um disco riscado com o "ah e tal a recta do polvo é diferente da recta da lula", é que estive mesmo para lhe dizer que a recta de Pegões também é diferente e aqui para o caso é igual.
Estavamos ali para falar do polvo e não da lula, e o raio do homem a enervar-me a miúda!

25 comentários:

  1. Boa :) Parabéns para a garota.
    Viva o polvo e a polva e mais os polvinhos

    ResponderEliminar
  2. Parabéns à menina e parabéns a ti que escreves que é uma delicia:) quase me fizeste sentir uma preguiçosa sem talento, por ser só mãe de duas e ter só dois braços...

    Jinho

    ResponderEliminar
  3. Fiquei fascinada com o polvo!
    Parabéns à miúda apaixonada pela sua tese e a ti que nos trazes isto de forma deliciosa!
    vidademulheraos40.blogspot.com.

    ResponderEliminar
  4. Parabéns à miúda e para ti que fizeste da vida do polvo uma coisa divertidissima!

    ResponderEliminar
  5. Parabéns!
    Fiquei fascinada e informada, lol, afinal não sabia quase nada sobre o polvo, e achei estas tuas explicações super divertidas!
    :-))

    ResponderEliminar
  6. nunca mais olharei para o polvo à lagareiro como até aqui. não posso ficar indiferente a deixar 400.000 polvitos órfãos de um momento para outro. nem mesmo se fosse do governo conseguiria voltar a encarar com uma bela travessa de polvo à lagareiro cheio de azeite...

    ResponderEliminar
  7. Obrigado a todos pelos parabéns em nome da miúda apaixonada pelos cefalópodes! Foi uma manhã e tanto! 18 Valores finais de tese! Eu, como "polva Mor" sinto-me rejubilante!
    O teu texto é qq coisa de muuuito espectacular! Grande obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta é a mãe "polva" da Kuka, não se nota?
      :DD

      Eliminar
  8. Parabéns à miúda pela boa defesa, e a ti por mais um post que me fez rir!!Estou a imaginar a mãe e o filho polvo a dialogarem!!
    400 mil filhos???Jasus

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E quando a mãe desata à chapada?!
      É que são oito braços!
      Ahahahahahahah

      Eliminar
  9. este post é bué da grande! não li /leio logo à 'note' em casa... mas também dou os parabéns porque a defesa de uma tese é sempre a defesa de uma tese :)

    ResponderEliminar
  10. Oh, parabéns a ti... um 18 é excelente!!

    ResponderEliminar
  11. Ó Sexinha, tu devias era ir para catedrática - para seres tu a arguir estas teses! Olha como tu captaste logo o que se passava ali entre a mãe e seus 500 filhos. Metes qualquer biólogo marinho num sapato! :)))

    ResponderEliminar
  12. Gentes!
    Vocês são muito boas para mim!
    Obrigaaaaaaada!

    ResponderEliminar
  13. :) Boa boa! Parabéns... Agora também eu fiquei a imaginar a mãe polvo... Oh God!

    ResponderEliminar
  14. Depois disto... acho que vou adquirir um aquário cheio de polvos! :DDD

    ResponderEliminar
  15. Ri-me tanto agora! Fiquei a saber mais sobre polvos para além de formas de os cozinhar.

    ResponderEliminar
  16. Se souberes de alguma mãe polvo que ande à procura de emprego manda para cá! Na minha casa oito braços ainda é pouco!

    ResponderEliminar