quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Só a mim!

Vejo-o muitas vezes ao entrar e sair do prédio; veste-se de forma suspeita (quem é que ainda usa chapéu de feltro), move-se de forma suspeita (firme e hirto mas com os olhos no chão e encostado às paredes), cumprimenta de forma suspeita (às arrecuas, ainda que sigamos na mesma direcção), todo o homem é suspeito; eu passei a chamar-lhe o Agente Smith!
Acho que nem o consigo descrever; evita todo e qualquer contacto com outros moradores, nem que para isso tenha de ficar a apertar os sapatos durante meia hora no acesso ao prédio até que entremos no elevador; quando acontece ele já estar no elevador, e eu conseguir agarrar a porta para entrar (sim, eu faço de propósito), dá um salto e atira-se de encontro ao espelho dos fundos como se eu tivesse sarna (e olha que eu até sou uma pessoa lavadinha); se nos cruzamos quando eu vou a entrar ou a sair com a bicha cadela, atira-lhe um olhar fulminante e salta para o lado, fundido-se quase na parede mais próxima; nunca sorri e está sempre a olhar para trás, por cima do ombro.
Juro-vos que várias vezes penso que vai desatar aos saltos em movimentos Matrix (se também vier o Keanu Reeves até estou capaz de nem me importar).
Bom, a questão é que ando há meses a tocar na porta do vizinho de cima para lhe dizer que tenho uma infiltração numa das casas de banho e nicles, nunca ninguém me abre a porta e eu não sabia quem era.
Hoje vi o Smith a esgueirar-se para o elevador, e entrei logo de seguida!
Finalmente hoje reparei no andar que estava marcado, e perguntei-lhe se ele, era o TAL.
Era; é.
A seguir passei os 30 minutos mais alucinantes da minha vida numa conversa irreal, que para além das obras necessárias versou sobre a inconstitucionalidade das seguradoras (a propósito do seguro da casa que ele devia ter e não tem justamente por ser insconstitucional), de manchas pretas que alastram de forma suspeita nas paredes da casa dele, e outros tão interessantes como os anteriores, enquanto eu me dividia entre a vontade de rir e a de lhe dar uma palmada, e o obrigava a voltar ao assunto que a mim me interessava.
Com tanta gente no prédio pois o que mora por cima da minha casa, tinha mesmo de ser este!

24 comentários:

  1. Extraordinário, por momentos pensei que tivesses encontrado o Monsieur Poirot, mas já vi que não.

    Ele provavelmente já sabia do problema, não? Daí os movimentos Matrix... pois, pois.



    ResponderEliminar
  2. Parece-se um bocado comigo, ele... MEDO!!! De mim mesma, bem visto.
    http://fashionfauxpas-mintjulep.blogspot.com

    ResponderEliminar
  3. Já percebi que vou perder a conta aos momentos em que me fazes rir "a bandeiras despregadas"!!!!
    Muiro bom:))))Muito bom mesmo.
    Obrigada!

    Jinho

    ResponderEliminar
  4. Ah ah ah!! A tua vida é uma animação. Deixa lá que calha a todos... eu chamo à minha vizinha, carinhosamente, BRUXA ;)
    **

    ResponderEliminar
  5. Chiça! Tinha de ser logo esse?...

    ResponderEliminar
  6. Ui... estás feita! Cá para mim, pratica rituais satânicos que incluem o alagamento da habitação... :DDD

    ResponderEliminar
  7. Olha que criatura esquisita... e tu não lhe ficas atrás. ahahah

    ResponderEliminar
  8. O teu vizinho de cima não joga com o baralho todo...

    ResponderEliminar
  9. MEDO

    homem sem blogue
    homemsemblogue.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  10. Ahahahah Afinal, conheces uma pessoa mais estranha que eu! :P

    ResponderEliminar
  11. Por momentos pensei que estava a falar do meu vizinho de cima, tal as semelhanças...mas o meu não usa chapéu! :)

    ResponderEliminar
  12. Creepy. Acho que morria de medo de andar de elevador com alguém assim.

    ResponderEliminar
  13. Ahahaah se calhar o homem vê muitos filmes!

    ResponderEliminar
  14. Ahahahah imagino essa figurinha sinistra, eu até ficava com medo!

    ResponderEliminar
  15. É praí um teórico das conspirações e enche a casa de água para não conseguirem ouvir o que ele fala por telefone eheheheheh

    ResponderEliminar
  16. Que pontaria no vizinho lol =P
    Só me ri com as tuas descrições

    Beijocas

    ResponderEliminar
  17. hehehehe. Adorei a descrição que fizeste, fiquei curiosa...

    Coisas engraçadas e sinistras sempre nos encontram em algum momento da vida!

    beijinhos pra você!

    ResponderEliminar
  18. Oh eu gosto de ver senhores de chapéu de feltro! Confesso que não alcancei a inconstitucionalidade do seguro!
    Mas realmente saiu-te uma bela rifa!

    ResponderEliminar
  19. Um post interessante de uma situação bizarra.
    Obrigada pela sua visita ao meu blogue.
    Voltarei sempre que possa.
    Bj.
    Irene Alves

    ResponderEliminar
  20. Estranho, muito estranho, é melhor teres cuidado. Contudo,gostava de ver o personagem.
    A inconstitucionalidade do seguro matou-me!!!Eh eh eh.

    ResponderEliminar
  21. ahahahaahaha...ninguém merece!

    ResponderEliminar