quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Ah e tal, não faz mal porque ela é estrangeira!

Só na Arábia quando entro numa loja, e penso que seja por não usar o niqab obrigatório às sauditas, sou tida por estrangeira, no resto do mundo (nos países por onde tenho passado) e porque tenho um tipo normal, nem muito escuro nem muito claro, passo bem por nativa (o que é fantastico e me permite misturar bem com as gentes e perceber melhor os usos e costumes sem parecer um bicho raro) e como tal dirigem-se-me de imediato na língua do país.

Aqui, em França, nunca foi diferente até esta manhã.

Por duas vezes hoje, já fui fumar lá fora à entrada do hotel; da primeira vez,  atrás de mim, um casal que, percebi, veio para assistir a uma palestra que aqui decorre, confiantes de que sou estrangeira e que não falarei (entenderei) a língua, combina um encontro secreto para mais logo e acertam as desculpas que darão aos respectivos; da segunda vez, dois homens  partilham segredos e preocupaçōes (só vos digo que são de uma empresa gigaaaaaaante) que não tencionam revelar  à delegação americana que está para chegar para a conferência.

Começo a pensar seriamente em plantar-me na entrada do hotel e fazer vida vendendo informaçōes privilegiadas a quem compre pelo melhor preço.

10 comentários:

  1. Gosto tanto, quando presumem que a 'estrangeira' não entende. Um fartote, as coisas boas que a gente ouve. Mas o contrário também é válido, e não se julgue que estamos imunes: há sempre um português por perto que percebe os nossos disparates ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Absolutamente!
      E o que é pior é que eu às vezes esqueço-me disso; tuga here, tuga there, tugas, tugas everywhere!
      :)

      Eliminar
  2. Ao contrário de tudo o que possas ter ouvido, sugiro que não deixes de fumar! Além do entretenimento pode vir a revelar-se proveitoso. Agora é só aguardares a chegada da delegação americana :)

    ResponderEliminar
  3. Ao que parece temos aqui uma potencial espia :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lissen verri carrefuli, ai xele sei it onli vuance!
      (remember Michele de la resistence do Allo, Allo? C´est moi)

      Eliminar
  4. Eu sou mais o contrário: esteja aonde estiver (seja na China ou na Sibéria), é certinho e direitinho que vou acabar por descobrir um português...E sempre pelos motivos errados (ah, Bruxelas, o grupo de homens lindos e eu com um "caraças, gajos jeitosos só por estas bandas", tendo sido recebida com um "Obrigada pelo elogio, mas o que é nacional é bom!", antes deles caírem na gargalhada. Toma, que já aprendeste, Corisca da Conceição! Em minha defesa, eu era mais nova dez anos e já aprendi a calar-me!)...

    ...Aproveita para vender informação à delegação americana, pá!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahahah

      Eliminar
  5. Tu aproveita e torna-te espia!!!

    ResponderEliminar