quinta-feira, 10 de julho de 2014

Ainda aqui morro do coração!

O snorkeling é supostamente uma prática desportiva de mergulho em águas rasas com o objetivo de recreação, relaxamento e lazer; supostamente.
Este ano pela primeira vez cedi aos, insistentes, pedidos do Mais Que Tudo para o acompanhar nesta prática (não me sinto nada muito à vontade fora de pé e sem saber, mas desconfiando, do que por ali pode andar…)
O que para ele são momentos de lazer e diversão para mim são sustos constantes; quase morro de susto quando o meu próprio cabelo que supostamente flutua atrás de mim, se me apresenta na visão periférica como uma mancha escura que avança…o mesmo acontece quando sinto os lacinhos laterais das cuecas do bikini a baterem-me nas pernas; plásticos que aparecem de repente, ervinhas soltas que se me agarram a uma perna, um cardume praticamente transparente que aparece de repente e me rodeia…
(ainda assim tenho tentado tirar algumas fotos; se ficarem alguma coisa de jeito, eu mostro)

10 comentários:

  1. Apanha o cabelo e olha, "au naturelle", que assim os lacinhos já não incomodam.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Au naturelle?!
      E eu sei lá se não m' aparecia um peixinho mais curioso?!

      Eliminar
  2. Respostas
    1. Mas tu ainda não percebeste que somos almas gémeas?!

      Eliminar
  3. ahahahah vá lá, é só isso! Não te dar paranóia de que não podes respirar debaixo de água e começares a respirar como se fosses parir já é uma sorte! (assim foi a minha primeira vez!) Mas agora quase não faço snorkling, adoro mesmo é mergulho em águas profundas! :)))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em águas profundas?!
      Das mais escuras?!
      E frias?!
      E com bichos maiores?!
      Fanicava-me...

      Eliminar
  4. Ahahahaha tal e qual eu. Menos mal que não sou a única. Sempre que sinto ervinhas nas pernas, é logo o pânico. Só não começo a gritar "SOCORRO, SOCORRO, É UM TUBARÃO" por constrangimento social ahaha. Ui, e tantas vezes que me assusto com o meu cabelo que me aparece a flutuar no meu campo de visão, QUE MEDO. Bem te compreendo, Sexinho. Deixa lá, não estás sozinha! (E que medo dos peixes! Sabe-se lá para onde eles vão, se mordem, se picam, se fazem de ti um guisado...!)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Haja alguém, HAJA, que me compreende!
      A voz que silêncio do mundo por vergonha, grita-me dentro da cabeça "Ai Jesus, que é desta que é mesmo um tubarão! Socoooooooooorro!"
      Eu percebo-te miúda, percebo mesmo!

      Eliminar