sexta-feira, 4 de julho de 2014

Porque eu mereço!


Depois de duas semanas alucinantes, e já com o africanista de regresso a casa, entrego-me (salvo seja, entrego os meus cabelinhos) ao único homem que tem pelo menos há uns 20 anos, livre-trânsito para se aproximar de mim com tesouras e tintas.

Sem comentários:

Publicar um comentário