quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Dar de mamar aos pequenos chupistas

Dar mama ou não (eis a questão), é uma decisão pessoal e ninguém, repito e em maiúsculas, NINGUÉM, tem nada a ver com isso, no entanto às vezes, algumas mães não dão de mamar porque não sabem como fazê-lo… e não me venham com histórias "ai que é uma coisa inata, ai que até os animais fazem, e tal" porque não é nada inato para algumas de nós e sim os animais fazem-no mas os bebés animais ajudam as mães animais (os gatinhos massajam para estimular a produção de leite e sabem lindamente onde está a maminha da mãe por exemplo), coisa que os bebés humanos não sabem fazer.
Poooor iiiiisso, é muito importante acompanhar a jovem (ou não tão jovem) mãe neste processo e ajudar.
A Amamentos é uma clinica de uma grande (enoooorme mesmo) amiga minha mas maior do que a amizade que lhe tenho é o trabalho que lá se faz e nos dias 6 e 10 de Outubro, toda a mãe a amamentar ou grávida que queira, pode recorrer à clinica para receber apoio na amamentação ou informação sobre o aleitamento materno de forma GRATUITA e com uma Consultora de Lactação (GRATUITA, eu não sei se perceberam bem que eu disse que era GRATUITO).

Pois então já sabem, quem quiser dias 6 e 10 de Outubro tem Open Day na Clinica Amamentos


13 comentários:

  1. Sexinho, o que disseste é uma enorme verdade. Eu tive imensas dificuldades em amamentar as minhas duas filhas, e só consegui que com o terceiro filho não fosse assim, porque procurei ajuda logo no terceiro dia, de uma enfermeira que era especialista em amamentação, e me deu conselhos preciosos que me levaram a insistir e a acreditar que ia conseguir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo testemunho na primeira pessoa Xaxia, às vezes tem-se vergonha porque o peso do que nos dizem (Não sabes? Dói-te? Não te dá jeito?) é muito grande.
      Miúdas, sem complexos porque não somos todas iguais!
      Peçam ajuda para o que não sabem ou precisam!
      <3

      Eliminar
    2. Com a minha mais velha (adoro poder dizer isto :D, eu que pensei anos a fio que nem um filho teria), foi um terror. Noites com ela aos gritos, porque não sabia mamar, eu a olhar para a lata do pó a pensar "para que te sujeitas a isto, mulher?". Só ao 5º dia, mais ou menos, e que ela aprendeu a mamar.
      Com a mais nova, mamou (quase) meia hora depois de nascer.
      Nãõ, não é inato. Para alguns bebés é, para outros não. E e preciso MUITA paciência das mães, se realmente quiserem amamentar... e se não quiserem, ou não conseguirem, ou estiverem demasiado cansadas, esgotadas, tristes, areadas, pah... estão no direito delas.

      Eliminar
  2. Bonita iniciativa, muito útil.

    ResponderEliminar
  3. Eu digo sempre que as Mães conseguem ser as maiores fundamentalistas do mundo. Se não fossemos assim, se não criassemos tanta pressão nas outras Mães, teríamos pessoas mais felizes...
    É uma excelente iniciativa! A amamentação nao é simples para a maioria das pessoas. De repente somos atiradas às nossas pequenas feras, sem grandes ajudas. :) Uma ajuda preciosa! ;)

    ResponderEliminar
  4. Só te quero dizer isto: hoje deu-se o caso de estalar uma violenta discussão no caminho para o escritório, entre mim e a pessoa que me tem feito os filhos.
    E as noites mal dormidas, e eu que já estou velha, e a amamentação?
    Isto assim não ajuda nada.
    Nada mesmo.
    Combinaram foi?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não conheço a pessoa que te tem feito filhinhos…juro que não combinámos nada!
      Beijinhos (e respira)

      Eliminar
  5. As minhas filhas mamaram pouco, não porque eu não quisesse, mas porque não tinha leite suficiente. Optei por tirar leite "à bomba" e dar-lho a mamar pelo biberão por ser certo e sabido que os anticoprpos de muitas maleitas passam de mães para filhos através do leite materno.
    Agora interrogo-me deste axioma da maternidade. Para além de dar cabo dos músculos do peito pelo bombear contante, fiquei a saber que a minha mummy-to-be não é imune à toxoplasmose. Eu sempre fui. Tanto trabalho para nada ?
    Ainda assim acho que se tiver hipótese e quiser amamentar, a minha mummy-to-be deverá fazê-lo. À custa de muita noite insone e algum desconforto pessoal, cria-se um elo indissolúvel entre mãe e bebé durante aqueles momentos tão íntimos para ambos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só posso falar por mim e pela minha experiência mas aqule momento mãe/filho (e onde não me cabia mais ninguém - sorry papá) foi tão único e maravilhoso! Nunca conheci nada igual, mas é como digo todas as mulheres são diferentes e ninguém tem nada a ver com isso e ninguém tem nada que opinar ( e ninguém deve sentir-se esquisito por ser diferente de outro,ok)

      Eliminar
    2. É isso mesmo. No século passado, não dar de mamar NEM era considerado opção, sabiam ? Nisto evoluímos muito, no poder de escolher.

      Eliminar
  6. M D Roque, no séc passado e anteriores, a mulher podia escolher: ou amamentava a mãe ou uma ama de leite, por isso, a opção sempre existiu.

    No meu caso, amamentar foi sempre fácil desde o primeiro minuto. Amamentei até aos dois anos sem qualquer tipo de problema. E no final, as maminhas ficaram firmes, pequenas e em forma, como eu sempre quis. Cada mulher é um caso e a decisão deve caber sempre à mãe.

    Bj

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. No meu tempo de jovem mãe e no tempo de jovem mãe da minha mãe, século passado em ambos os casos,a ama de leite era um conceito em desuso nas grandes cidades, por isso, nos tempos do Estado novo e nos que depois se seguiram, só dava biberão quem não tinha leite, não havia outra escolha.

      Eliminar